Mapa Astral – Elvis Presley

mapa astral elvis presley

ELVIS PRESLEY 

Nascimento: 8 de Janeiro de 1935, Tupelo, Mississippi, EUA e 

Falecimento: 16 de Agosto de 1977, Memphis, Tennessee, EUA ,

com 42 anos vítima dum ataque cardíaco.

Mapa razoavelmente equilibrado sob o ponto de vista de energias, onde, contudo impera, energia de terra pela via de 4 planetas, sendo 3 deles em capricórnio (status e carreira) e na casa 2 (bens materiais). Um deles é Vénus que deu origem a uma profissão venusiana, mesmo sem traços especiais que indique talento musical (em Leão, Peixes), mas com muito trabalho e dedicação veio a trazer status e carreira feita (Vénus em Capricórnio), com projecção planetária (Júpiter/Sol) e a via monetária sem limite (casa 2) mesmo depois da morte.

O Júpiter em sextil e Neptuno em trígono fazem bons aspectos ao sol em capricórnio, regentes do ascendente e da Lua, dando uma projecção firme, assertiva, equilibrada e em simultâneo sensível e intuitivo.

Um plutão na controversa casa 8, que mostra uma tremenda força e recursos em tempos de crise, onde os relacionamentos podem envolver brigas pelo poder, eventualmente violência física ou emocional com quebra de tabus, nomeadamente os seus movimentos inéditos de cintura na dança, que nos anos 50 chocaram as câmaras e obrigaram a filmar o rei apenas na parte de cima, bem como as brigas constantes no seu casamento. Esta posição de plutão na casa 8, com aspectos tensos, levam a pessoa a ter de lidar com os seus desejos sexuais e agressivos,  bem como terão de lutar com pensamentos em torno da morte. O plutão também lhe rege a casa 12, a casa dos segredos e dos inimigos secretos. 

De qualquer modo, o rei é o rei, mesmo depois de morto, não foi deposto.

Mapa Astral – Michel do Notredame ( em latim NOSTRADAMUS)

nostradamus jpeg

Michel do Nostradamus

– Nostradamus foi um dos maiores astrólogos e profetas da história da humanidade, prevendo com exactidão inúmeros acontecimentos da sua época e de outros que se vieram a confirmar séculos mais tarde, nomeadamente a morte do rei Henrique II com grande detalhe, previsão acertada da 1ª e 2ª guerra mundial, o assassinato de Kennendy, etc.

Nascimento: 14 dez 1503, Saint-Rémy-de-Provence, França

Falecimento: 2 jul 1566, Salon-de-Provence, França

Nacionalidade: Francês

Tive alguma dificuldade em precisar a data de nascimento de Nostradamus. Há registos ligeiramente diferentes sendo que, o seu pupilo e amigo,  Jean Aymes de Chavigny, registou a hora de nascimento ao meio-dia e Tom Howell, astrólogo, rectificou a hora para as 12:30h. O calendário naquela época seria o juliano, e como tal, faz Nostradamus, capricorniano em vez de sagitariano. Das 12:00h (sensivelmente) para as 12:30h (hora rectificada por Howell) o sol passa da casa 9 para a 10. Tanto uma como outra são adequadas para a progressão na carreira, embora a casa 10 esteja directamente ligada a este facto e a casa 9 à astrologia. Saturno, dispositor do Sol capricorniano, está em Caranguejo conjunto a júpiter, a fazer um grande trígono a Urano (planeta da astrologia) e a Lua. Estes planetas estão em casas de água, muito sensitivas, a casa 4, 8 e 12. Neste aspecto, a tendência aos insigths e conhecimento interno é evidente, vindo provavelmente de outras vidas e estando profundamente enraizado no inconsciente ( caranguejo na casa 4 com aspecto à Lua, em particular). A Lua em Escorpião e na casa 8, é uma “bomba atómica” que opera directamente com forças ocultas e tendem a se expressar como a habilidade de sentir a evolução de tendências sociais, especialmente ligadas à economia (reforçadas com a conjunção saturno/júpiter – tem a haver com flutuações nesta área). Como curiosidade, com esta posição tão forte da Lua, experiências de infância com sexo ou morte podem ter afectado fortemente o carácter, reforçado com a ligação de saturno/júpiter na casa 4. Se um premeia, o outro “castiga”, se um brinca, o outro obriga a assumir o peso da responsabilidade.

8 – A JUSTIÇA

TAROT – CARTA DO DIA

A JUSTIÇA ( DEUSA ATENA – GRÉCIA, MINERVA – ROMANA ) – CARTA / ARCANO 11

Na carta da justiça, a Atena está vestida de branco, sabemos que esta cor representa a pureza, e o xadrez do chão, o branco a luz e o preto a escuridão, duma forma ordenada e coerente. No ombro aparece uma coruja que representa o símbolo da justiça, pela clareza de visão porque consegue ver a caça no meio da escuridão. A balança, como sabemos, é a imparcialidade na decisão. Se esta carta sai num lançamento, significa o desenvolvimento do melhor que há no ser humano, e isto, possibilita a “justiça de Deus”, quando o tempo chega, se a hora é aquela, então o modo de acção revela-se e a justiça faz-se. O Homem distingue-se do animal, pela sua capacidade de decisão racional, diferente do instinto, um julgamento com carácter reflexivo e de racionalização, onde impera a imparcialidade. A ética rege estes princípios, o pensamento deve ser equilibrado e a decisão imparcial, com reflexão e duma forma racional. Esta característica, distingue, na sua essência, os homens dos animais.

Na mitologia grega, Atena, também conhecida como Palas-Atena, era a deusa da sabedoria, da guerra, das artes, da estratégia e da justiça. De acordo com a mitologia grega, Atena nasceu (já armada) da parte interior da cabeça de seu pai, Zeus (deus dos deuses). Ela era um dos doze deuses olímpicos e uma das principais deusas da Grécia Antiga. Atena aparece quase sempre representada, em pinturas e esculturas, com equipamentos de guerra (lança, escudo e capacete).

A versão mais corrente de seu mito a dá como filha partenogênica de Zeus, nascendo de sua cabeça plenamente armada. Jamais se casou ou tomou amantes, mantendo uma virgindade perpétua. Era imbatível na guerra, nem mesmo Ares lhe fazia frente. Foi padroeira de várias cidades, mas se tornou mais conhecida como a protetora de Atenas e de toda a Ática. Também protegeu vários heróis e outras figuras míticas, aparecendo em uma grande quantidade de episódios da mitologia.

Atena teve um filho com Hefesto (deus do fogo, da metalurgia e do trabalho) que se chamava Erictônio. Porém, este filho não foi concebido de forma natural, pois Atena era virgem. De acordo com o mito, Atena foi pedir para Hefesto confeccionar armas para ela. Hefesto tentou uma relação a força, porém Atena não permitiu. Então, ele lançou sémen nas pernas de Atena, mas ela limpou com lã e lançou na terra e então, deste modo, nasceu Erictônio.

2 – A SACERDOTISA

Tarot – Carta do dia

A SACERDOTISA (DEUSA PERSÉFONE – Rainha das Trevas) – CARTA / ARCANO 2

A figura (deusa Perséfone – A Sacerdotisa) que aparece na carta, agarra uma romã que é considerada uma relíquia sagrada da natureza, a romã é utilizada desde a antiguidade e simboliza o amor, a vida, a união, a paixão, o sagrado, o nascimento, a morte e a imortalidade. A jovem que a segura tem cabelos compridos e vestido branco e na cabeça uma coroa dourada. Perséfone – A Sacerdotisa, representa a ligação entre o consciente e o inconsciente. É uma mulher muito espiritual, demonstra forças ocultas, segredos, e revela-nos esta sabedoria, é ela a chave de ligação ao mundo do inconsciente, onde estão as faces por descobrir da nossa personalidade. A Sacerdotisa, opera no âmago da alma, as coisas revelam-se duma maneira natural através de sentimento, da intuição e dos sonhos.

No sentido divinatório, significa o aumento dos poderes de intuição e implica em uma espécie de chamado para ir de encontro ao oculto, o inconsciente. Pode haver um interesse repentino pelo esoterismo, uma intuição forte de que algo esteja acontecendo ou uma revelação através de um sonho. A Sacerdotisa significa que algo que estava oculto quer se manifestar, ou que as respostas procuradas podem ser encontradas no caos do mundo interior.

3 – A IMPERATRIZ

Tarot – Carta Dia

A IMPERATRIZ ( DEUSA DEMÉTER OU CERES )  – CASA / ARCANO 3

Esta carta mostra uma mulher grávida, num campo de trigo com uma cascata atrás e um verde que indica fertilidade. No sentido divinatório, pode significar um casamento, um nascimento e aleitamento, abundância, instinto, gravidez e a experiência interior da Grande Mãe, ou seja, a descoberta do corpo como algo valioso. A cascata de água está relacionada com os sentimentos, as emoções, o campo de trigo sugere abundância da terra, o verde a fertilidade, todos estes assuntos são do âmbito da deusa Deméter (gregos) ou Ceres (romanos). Ceres era a deusa da terra, encarregada do ciclo agrícola e da colheita. Na cabeça, a imperatriz carrega uma coroa com formas de casas e castelos, que significa o lar, estável, seguro, lugar de paz e crescimento interno e duma maneira segura, num tempo adequado. Ela também é responsável pelos rituais, quaisquer que sejam, nomeadamente o casamento. No pescoço traz um colar com 12 pedras simbolizando os 12 signos do zodíaco.  Através da carta da impertriz e a sua relação com a Deméter, vemos a correspondência que assinala a consciência de sermos parte integrantes da vida natural que nos rodeia e todo a prazer que daí resulta, através das coisas mais simples da vida. A vida só pode ser gerada, quando a Grande Mãe estiver plenamente integrada dentro de nós, que dá frutos no exacto de dar frutos. A imperatriz é vida.

demeter

Deméter ou Demetra – deusa grega, Ceres – deusa romana Filiação: Cronos e Rhea Irmãos: Zeus, Hera, Poseidon e Hades Filhos: Perséfone (Coré ou Proserpina), Despina, Árion, Pluto

Deméter , deusa da terra cultivada, das colheitas e das estações do ano. É propiciadora do trigo, planta símbolo da civilização. Na qualidade de deusa da agricultura, fez várias e longas viagens com Dionísio ensinando os homens a cuidarem da terra e das plantações. O nome Demeter deriva do grego “mãe da terra” frase antiga e também deu o nome à palavra grega para cereal que são conhecidos como “demetriaka”. Em Roma, onde se chamava Ceres, seu festival era chamado Cerélia e celebrado na primavera.

Hades raptou Perséfone e levou-a para seu reino subterrâneo, Deméter ficou desesperada, saiu como louca Terra afora sem comer e nem descansar. Decidiu não voltar para o Olimpo enquanto sua filha não lhe fosse devolvida, e culpando a terra por ter aberto a passagem para Hades levar sua amada filha, ela disse:

– Ingrato solo, que tornei fértil e cobri de ervas e grãos nutritivos, não mais gozará de meus favores!

Durante o tempo em que Deméter ficou fora do Olimpo a terra tornou-se estéril, o gado morreu, o arado quebrou, os grãos não germinaram. Sem comida a população sofria de fome e doenças. Com a situação caótica em que estava a terra estéril, Zeus pediu a Hades que devolvesse Perséfone. Ele concordou, porém antes, fê-la comer um bago de romã e assim a prendeu para sempre aos infernos, pois quem comesse qualquer alimento nessa região ficava obrigado a retornar. Com isso, ficou estabelecido que Perséfone passaria um período do ano com a mãe, e outro com Hades. Segundo a lenda, quando Deméter encontrava-se com Perséfone, a partir do momento que elas ficaram juntas, a terra florescia e ficava fértil, sendo a primavera. Ao contrário, quando Perséfone ficava com Hades, a tristeza de Deméter destruía a terra de plantas e flores, sendo o inverno.

DIA MUNDIAL DO TAROT – 25 Maio 2015

slide0001_image002DIA MUNDIAL DO TAROT

25 Maio 2015

Quando procurar iluminar a sua vida,comece pelo seu interior

slide0001_image004A ideia de criar o World Tarot Day foi de Den Helder, escritora, mestre de Tarot, fundadora da “The Church of Tarot” e também da International Society Helping Tarot, que desde 2003 propôs o dia 25 de Maio. A data tem vindo a ser aceite pela comunidade de Tarot e é celebrada por todo o mundo, de forma cada vez mais elaborada e entusiasta.

1 – O MAGO

TAROT – CARTA DO DIA

O MAGO (HERMES) – CARTA/ARCANO 1

Na figura vemos Hermes com 4 elementos à sua disposição que significam 4 caminhos diferentes a seguir, representados pelo Caduceu que é uma espécie de varinha mágica do mágico (mago) qu tem 2 serpentes enroladas à volta da iluminação e representam o masculino/feminino, yin/yang, a noite e o dia, o fogo, o modo de acção, a energia sexual, ou o bastão curativo, tem também a espada, que representa o aspecto mental de Mercúrio (romanos) que foi um poder dado pelo seu pai Zeus, a moeda está relacionada com a matéria, com a terra, com a boa sorte na gestão das finanças, o cálice tem a haver com a emotividade, o coração, o amor. Estes 4 elementos são, paus, espadas, ouros e copas.

Sendo Hermes o deus dos viajantes, o Mago é o guia que nos auxilia na escolha dum caminho, os dons, habilidades e capacidades latentes que ainda não se manifestaram devem ser desenvolvidos. No nosso interior está a bússola orientadora a perscrutar o nosso inconsciente afim de podermos decidir intuitivamente nas escolhas a fazer. Os pressentimentos, intuições ou sensações vêm e, somo assim, impelidos a seguir insights  que nos levarão a possibilidades inexploradas.

DEUS HERMES (GREGOS) E MERCÚRIO (ROMANOS)

Hermes, o mensageiro dos deuses – Na mitologia grega, Hermes era o deus mensageiro, dos pesos e medidas, dos pastores, dos oradores, dos poetas, do atletismo, do comércio, das estradas e viagens, protector da magia e das invenções (inventou a lira). Era considerado, na Grécia Antiga, o patrono dos diplomatas, dos comerciantes, da ginástica e dos astrónomos. Responsável pelos golpes de sorte e pelas súbitas mudanças de vida, também patrono dos ladrões, era filho de Zeus e da Ninfa Maia, a Plêiades, com designação de noite. Chamavam-no de vigarista por sua ambiguidade, ao mesmo tempo era mensageiro dos deuses e também fiel mensageiro do mundo das trevas, condutor das almas deste mundo para o próximo. Hermes é filho da luz espiritual com as trevas primordiais. É considerado o “menos olímpico dos imortais”, pois sempre gostou de se misturar com os homens.

0 – O LOUCO

TAROT – CARTA DO DIA

O LOUCO (DIONISO) – CARTA / ARCANO 0

A jornada começa pelo mito do deus Dioniso, inconsciente e impulsivo, com vontade de viver e descobrir a vida, trajando peles de animais, deste modo, sugere, que o jovem apenas se guia pelo “instinto animal”. Duma forma ingénua, lá vai ele e na ponta do precipício prepara-se para mergulhar no desconhecido, tendo como protector, a águia do rei dos deuses (Zeus), em busca da sua individualidade, pelas 21 cartas do tarot, que só ele o pode fazer.

Dionísio simboliza aquilo que há de irracional dentro de nós, sob a forma instintiva e inconsciente, que faz provocar a mudança, faz trilhar novos caminhos e ampliar horizontes desconhecidos. Aqui o risco existe sempre mas como diz o povo, “Ao menino e ao borracho mete Deus a mão por baixo”, a hora da aventura começou.

Dioniso

Estátua romana do Século II representa Dioniso de acordo com um modelo helenístico, exposta no Louvre.

Deus dos vinhos, das festas e do êxtase
Morada Monte Olimpo
Símbolos videira, o leopardo, leão e o delfim
Cônjuge Ariadne e outras (os) deuses e imortais
Pais Zeus e Sêmele ou Zeus eDione
Irmãos Apolo, Ártemis, Atenas e outros
Filhos Graças, Priapo, Iaco,Himeneu, Estáfilo, Enopiãoe outros;
Romano equivalente Baco

Tarot Mitológico – Descrição das cartas

O Tarot Mitológico/Mítico (The Mythic Tarot) foi criado por Liz Greene, Tricia Newell, Juliet Sharman-Burke.

Tricia, colaborou como pintora e artista plástica que é , com as ilustrações das cartas deste baralho. Greene e Sharman-Burke, são as mentoras deste projecto e colaboraram com os seus imensos conhecimentos e experiência que têm de psicologia, astrologia e tarot.

É representado por 78 cartas, onde aparecem deuses e deusas, semideuses, heróis e vilões da mitologia grega antiga. Publicado pela Fireside em 1986 e reeditado quase a cada dois anos depois.

As imagens do Tarot Mitológico expressam experiências e padrões humanos essenciais, operam como um espelho da psique. Pela natureza arquetípica das imagens, o simbolismo é trazido do inconsciente duma forma quase natural.

De seguida, descrevo o significado, das 22 cartas dos arcanos maiores deste baralho:


O LOUCO (DIONISO) – CARTA /ARCANO 0

A jornada começa com pelo mito do deus Dioniso, inconsciente e impulsivo, com vontade de viver e descobrir a vida, trajando peles de animais, deste modo, sugere, que o jovem apenas se guia pelo “instinto animal”. Duma forma ingénua, lá vai ele e na ponta do precipício prepara-se para mergulhar no desconhecido, tendo como protector, a águia do rei dos deuses (Zeus), em busca da sua individualidade, pelas 21 cartas do tarot, que só ele o pode fazer.

Dionísio simboliza aquilo que há de irracional dentro de nós, sob a forma instintiva e inconsciente, que faz provocar a mudança, faz trilhar novos caminhos e ampliar horizontes desconhecidos. Aqui o risco existe sempre mas como diz o povo, “Ao menino e ao borracho mete Deus a mão por baixo”, a hora da aventura começou.


O MAGO (HERMES) – CARTA / ARCANO 1

Na figura vemos Hermes com 4 elementos à sua disposição que significam 4 caminhos diferentes a seguir, representados pelo Caduceu que é uma espécie de varinha mágica do mágico (mago) qu tem 2 serpentes enroladas à volta da iluminação e representam o masculino/feminino, yin/yang, a noite e o dia, o fogo, o modo de acção, a energia sexual, ou o bastão curativo, tem também a espada, que representa o aspecto mental de Mercúrio (romanos) que foi um poder dado pelo seu pai Zeus, a moeda está relacionada com a matéria, com a terra, com a boa sorte na gestão das finanças, o cálice tem a haver com a emotividade, o coração, o amor. Estes 4 elementos são, paus, espadas, ouros e copas.

Sendo Hermes o deus dos viajantes, o Mago é o guia que nos auxilia na escolha dum caminho, os dons, habilidades e capacidades latentes que ainda não se manifestaram devem ser desenvolvidos. No nosso interior está a bússola orientadora a perscrutar o nosso inconsciente afim de podermos decidir intuitivamente nas escolhas a fazer. Os pressentimentos, intuições ou sensações vêm e, somo assim, impelidos a seguir insights  que nos levarão a possibilidades inexploradas.


A SACERDOTISA (DEUSA PERSÉFONE – Rainha das Trevas) – CARTA / ARCANO 2

A figura (deusa Perséfone – A Sacerdotisa) que aparece na carta, agarra uma romã que é considerada uma relíquia sagrada da natureza, a romã é utilizada desde a antiguidade e simboliza o amor, a vida, a união, a paixão, o sagrado, o nascimento, a morte e a imortalidade. A jovem que a segura tem cabelos compridos e vestido branco e na cabeça uma coroa dourada. Perséfone – A Sacerdotisa, representa a ligação entre o consciente e o inconsciente. É uma mulher muito espiritual, demonstra forças ocultas, segredos, e revela-nos esta sabedoria, é ela a chave de ligação ao mundo do inconsciente, onde estão as faces por descobrir da nossa personalidade. A Sacerdotisa, opera no âmago da alma, as coisas revelam-se duma maneira natural através de sentimento, da intuição e dos sonhos.

No sentido divinatório, significa o aumento dos poderes de intuição e implica em uma espécie de chamado para ir de encontro ao oculto, o inconsciente. Pode haver um interesse repentino pelo esoterismo, uma intuição forte de que algo esteja acontecendo ou uma revelação através de um sonho. A Sacerdotisa significa que algo que estava oculto quer se manifestar, ou que as respostas procuradas podem ser encontradas no caos do mundo interior.


A IMPERATRIZ ( DEUSA DEMÉTER OU CERES )  – CASA / ARCANO 3

Esta carta mostra uma mulher grávida, num campo de trigo com uma cascata atrás e um verde que indica fertilidade. No sentido divinatório, pode significar um casamento, um nascimento e aleitamento, abundância, instinto, gravidez e a experiência interior da Grande Mãe, ou seja, a descoberta do corpo como algo valioso. A cascata de água está relacionada com os sentimentos, as emoções, o campo de trigo sugere abundância da terra, o verde a fertilidade, todos estes assuntos são do âmbito da deusa Deméter (gregos) ou Ceres (romanos). Ceres era a deusa da terra, encarregada do ciclo agrícola e da colheita. Na cabeça, a imperatriz carrega uma coroa com formas de casas e castelos, que significa o lar, estável, seguro, lugar de paz e crescimento interno e duma maneira segura, num tempo adequado. Ela também é responsável pelos rituais, quaisquer que sejam, nomeadamente o casamento. No pescoço traz um colar com 12 pedras simbolizando os 12 signos do zodíaco.  Através da carta da impertriz e a sua relação com a Deméter, vemos a correspondência que assinala a consciência de sermos parte integrantes da vida natural que nos rodeia e todo a prazer que daí resulta, através das coisas mais simples da vida. A vida só pode ser gerada, quando a Grande Mãe estiver plenamente integrada dentro de nós, que dá frutos no exacto de dar frutos. A imperatriz é vida.


A JUSTIÇA ( DEUSA ATENA – GRÉCIA, MINERVA – ROMANA ) – CARTA / ARCANO 8

Na carta da justiça, a Atena está vestida de branco, sabemos que esta cor representa a pureza, e o xadrez do chão, o branco a luz e o preto a escuridão, duma forma ordenada e coerente. No ombro aparece uma coruja que representa o símbolo da justiça, pela clareza de visão porque consegue ver a caça no meio da escuridão. A balança, como sabemos, é a imparcialidade na decisão. Se esta carta sai num lançamento, significa o desenvolvimento do melhor que há no ser humano, e isto, possibilita a “justiça de Deus”, quando o tempo chega, se a hora é aquela, então o modo de acção revela-se e a justiça faz-se. O Homem distingue-se do animal, pela sua capacidade de decisão racional, diferente do instinto, um julgamento com carácter reflexivo e de racionalização, onde impera a imparcialidade. A ética rege estes princípios, o pensamento deve ser equilibrado e a decisão imparcial, com reflexão e duma forma racional. Esta característica, distingue, na sua essência, os homens dos animais.


7 COPAS

TAROT – CARTA DO DIA

7 COPAS – A Corrupção – Vénus em Escorpião

O 6 de copas representa o prazer, mas duma forma pura e leve. O 7 copas, é o 6 de copas exagerado, uma oitava abaixo. Aqui encontramos a procura do prazer, mas duma forma exagerada e ilusória, no qual podemos incluir a comida, o sexo, as viagens, jóias de luxo, eventualmente droga, para satisfazer o vazio emocional da incapacidade de sentir prazer, embora possa parecer o contrário. Podemos encontrar também, aquela pessoa que não se decide por nada, por falta de capacidade de organização.

O 7 copas representa a carta dos sonhos e ilusões. As expectativa construídas são muitas e duma maneira fácil vamos atrás de ilusões. Mostra a incapacidade de integrar o amor e sexo e este último acaba por ser  vivido como uma compensação compulsiva da incapacidade de viver o verdadeiro prazer.

Esta carta tem um posicionamento por vezes erótico e intenso onde os desejos, quaisquer que sejam, são perseguidos com voracidade. A carta também é chamada de “O deboche”, onde pode imperar a corrupção, devassidão ou perversão.

Caso as fantasias relativas ao futuro não sejam demasiadamente altas, a preguiça não nos domine, acreditemos que as opções simples são as mais exequíveis e impere a organização, podemos conseguir o melhor desta posição, porém a verticalidade verdadeira para connosco próprios e para com os outros deve imperar.